skip to content

PodCast Diálogos com a Educação

Podcast Diálogos com a Educação

PodCast Diálogos com a Educação tem como proposta abordar temas relacionados ao campo da educação básica como forma de oferecer aos seus profissionais conteúdos que possam ser utilizados como auxílio no processo de formação continuada, com o intuito de promover diálogos entre as salas de aulas e as licenciaturas da Universidade Federal de Ouro Preto.

O trabalho é desenvolvido por dois profissionais da educação e da comunicação: o professor e jornalista, Gláucio Antônio Santos,  e o professor e técnico de captação de áudio, edição e sonoplastia, Simei Gonderim de Jesus, ambos funcionários da emissora. Participa ainda a estudante de Letras e bolsista da 106.3 FM, Gabriela Mendes Morais.  

Novos episódios serão lançados às sextas-feiras, no site da Rádio UFOP Educativa. Você conhece algum projeto legal desenvolvido por professoras e professores da rede pública de ensino da Região dos Inconfidentes? Conta pra gente! Queremos conhecer e espalhar esta ideia! Nosso e-mail: conteudo.radio@ufop.edu.br/.

Supervisão de captação de áudio, edição e sonoplastia: Simei Gonderim de Jesus
Concepção de projeto, produção, arte e supervisão de jornalismo: Gláucio Antônio Santos
 
https://open.spotify.com/show/2JYir3ZrFveZXjbxiTzkQy
Podcast Diálogos com a Educação

Ep.08. Práticas educativas dos avós cuidadores dos netos - 05.07

“Quando as obrigações escolares são administradas pelos avós: um estudo sobre as práticas educativas dos avós cuidadores dos netos.” Esse é o título da dissertação de mestrado defendida no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Ouro Preto, que foi a pauta do PodCast Diálogos com a Educação. Conversamos com a autora do estudo, a pedagoga Denise Costa Rosa, graduada pela Universidade Federal de Viçosa e mestre em Educação. 

Participou também da nossa conversa a professora Dra. Rosa Maria da Exaltação Coutrim. Ela é graduada em Ciências Sociais e mestra em História pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho (UNESP). É Doutora em Ciências Humanas - Sociologia e Política pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e pós doutora em Educação pelo Instituto Politécnico de Leiria, Portugal. A pesquisadora possui experiência nas áreas de Sociologia da Educação e Sociologia do Envelhecimento, além de compor o Núcleo de Estudos Sociedade, Família e Escola da UFOP e o Observatório Sociológico Família e Escola da UFMG. 

 

Redação: Gabriela Morais
Roteiro e Produção: Gabriela Morais e Gláucio Santos 
Reportagem, Fotografia, Redação e Supervisão de jornalismo: Gláucio Santos
Supervisão de Captação de Áudio, Edição e sonoplastia: Simei Gonderim
Gabriela Morais é estudante de Letras e atua como bolsista nos processos formativos da emissora. 

Ep.07. Reinado do Alto da Cruz, Chico Rei e as escolas de Ouro Preto - 28.06

No Podcast Diálogos com a Educação a pesquisadora Amanda Melissa dos Santos fala sobre o Reinado (também conhecido como Congado, Reisado ou Congadas) no bairro Alto da Cruz, o mito construído em torno do rei africano Chico Rei e a sua importância nas práticas pedagógicas de escolas de Ouro Preto. Escravizado e trazido para a antiga Vila Rica, Chico Rei conseguiu comprar sua alforria e construiu a Igreja de Santa Efigênia no Alto da Cruz. 

A pesquisadora acrescenta que no século XIV, Chico Rei foi o responsável por trazer o Congado às Minas, que trata-se de uma importante manifestação cultural e religiosa afro-brasileira. “Chico Rei é o fundador do Congado dentro de Vila Rica, dentro de Ouro Preto", afirma a pesquisadora. A entrevista foi concedida ao jornalista Gláucio Santos, dia 5 de junho, na sede da Rádio UFOP Educativa, no Campus Universitário Morro do Cruzeiro. 

 

Redação e Roteiro: Gabriela Mendes
Produção, Reportagem, Fotografia e Supervisão de Jornalismo: Gláucio Santos
Supervisão de Captação de Áudio, Edição e Sonoplastia: Simei Gonderim
Gabriela Mendes é estudante do curso de Letras e atua como bolsista nos processos formativos da emissora.

Ep.06. EJA, formação continuada e as questões étnico-raciais - 21.06

O PodCast Diálogos com a Educação desta semana tem como tema  “Educação de Jovens e Adultos, formação continuada e as questões étnico-raciais". Quem fala sobre o assunto é a professora Marinete da Silva Morais, que é mestre em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Participa também a professora Dra. Regina Magna Bonifácio de Araújo, do Departamento de Educação da Universidade Federal de Ouro Preto.

A entrevista foi gravada no dia 12 de junho, no Instituto de Ciências Humanas e Sociais, em Mariana, após a palestra “Formação continuada de Educação em relações étnico-raciais para professores da EJA” referente aos resultados de pesquisa da dissertação de mestrado. O evento foi promovido pelo Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação de Jovens, Adultos e Idosos, coordenado pela professora Regina Bonifácio.

 

Segundo dados do INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (referente ao Censo Escolar: Sinopse Estatística Da Educação Básica 2018) o número de matrículas da EJA - Educação de Jovens e Adultos no Ensino Fundamental e Ensino Médio no Brasil equivale a 3.545.988 e somente a região Nordeste possui 1.419.273 dessas matrículas. Quanto à faixa etária predominante, pessoas acima de 40 anos somam 777.832 dos matriculados, seguido pelo público com idade entre 20 e 24 anos com total de 725.737 e estudantes de 18 e 19 anos com 587.898 das matrículas.

As mulheres matriculadas correspondem a 1.713.999, das quais 767,535 são afro-brasileiras (pretas e pardas) e os homens matriculados correspondem a 1.813.989, dos quais 816,549 se autodeclararam negros (pretos e pardos). Dentro do contexto dos 3.545.988, as pessoas que se autodeclaram pretas e pardas totalizam 1.584,084 dos matriculados na EJA.

Redação: Karine de Oliveira Costa e Ana Beatriz Moreira de Almeida Santos
Roteiro, Produção, Reportagem, Fotografia e Supervisão de jornalismo: Gláucio Santos
Supervisão de Captação de Áudio, Edição e sonoplastia: Simei Gonderim
Karine (Jornalismo) e Ana Beatriz (Turismo) atuam como bolsista nos processos formativos da emissora. 

EP.05. Antirracismo, práticas discriminatórias e o espaço escolar - 14.06

“Hoje uma senhora me parou na rua e perguntou se eu fazia faxina. Altiva e segura, respondi: - Não. Faço mestrado. Sou professora". Este é um fragmento do texto escrito pela historiadora, Luana Tolentino, professora substituta no Departamento de Educação da Universidade Federal de Ouro Preto. O fato ocorreu em Belo Horizonte, em 2017, quando a docente se dirigia para uma escola onde trabalhava.

No Podcast Diálogos com a Educação, a pesquisadora fala sobre diversos temas, como práticas discriminatórias, a negação do racismo, a lei 10.639/2003 (que obriga o ensino da história e da cultura afro-brasileira), além de problematizar questões relacionadas ao vitimismo e ao racismo reverso. 

"Há uma recusa, há uma má vontade de se compreender o que está sendo colocado. Há uma negação do racismo no país. Então, por isso que para algumas pessoas, o negro recusar, refutar esse lugar de discriminação de violência é visto como vitimismo.

Por que nós que vivemos também sob o signo da democracia racial, as pessoas acreditam piamente que vivemos num paraíso racial, e se negam a acreditar que o racismo se dá cotidianamente.

Então uma prática racista não é só chamar o outro de macaco. Não é isso.

São estes mecanismos de impedir a circulação, de negação, este olhar de desconfiança. Tudo isso é parte das práticas discriminatórias, das práticas racistas".

Luana Toletino reflete sobre o papel da escola pública para a desconstrução do racismo, questiona o racismo estrutural na sociedade, inclusive dentro da Universidade, e comenta sobre os olhares de inferiorização em relação as pessoas negras. Nestes contextos, a historiadora alerta sobre a baixa existência de docentes negras e que, embora existam muitas mulheres afrobrasileiras atuando profissionalmente na UFOP, a maioria trabalha em atividades relacionadas a serviços gerais, na cantina e na cozinha. A pesquisadora reforça que o Brasil é um “país extremamente racista” e questiona, a partir de seus estudos, o fato de a própria Universidade ter menos de uma dúzia de professoras negras dentre os 1.100 docentes.

A historiadora trabalhou durante dez anos na educação básica e atualmente é professora de futuros profissionais da educação. Luana Toletino é autora do livro “Outra Educação é Possível - feminismo, antirracismo e inclusão em sala de aula”.

Roteiro e Produção: Gabriela Morais e Gláucio Santos / Reportagem, Fotografia e Supervisão de radiojornalismo: Gláucio Santos / Supervisão de Captação de Áudio, Edição e sonoplastia: Simei Gonderim / Gabriela Morais é estudante de Letras e atua como bolsista nos processos formativos da emissora. 

Ep.04. Multiletramentos e as Tec. Digitais da Infor. e Comunicação na Educação - 07.06

No Podcast Diálogos com a Educação desta sexta-feira (07/06), vamos conhecer o Grupo de Pesquisa “MULTDIC - Multiletramentos e usos das Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação na Educação”. A nossa conversa será com o líder do MULTDIC, o  Professor Dr. Hércules Tolêdo Corrêa que é associado ao Centro de Educação Aberta e à Distância da UFOP. Ele conta com vasta experiência em Multiletramentos, Letramento Literário, Letramento Digital e Leitura e Produção de Textos Acadêmicos. Participa também a professora e doutoranda em Educação, Rosângela Magalhães, que é integrante do grupo de pesquisa.

“O termo letramento surge no momento em que os estudos ligados à alfabetização e a escrita passam a ser pensados não apenas no âmbito cognitivo e educacional, mas também no âmbito social. Surge no momento em que a sociologia e a antropologia vão se debruçar sobre essas práticas sociais de leitura e escrita,” explica o professor Hércules Tolêdo. O pesquisador destaca que um pouco mais tarde, quando os estudiosos percebem que essa práticas são múltiplas e diversas, surge o termo multiletramentos.

Roteiro e Produção: Gabriela Morais e Gláucio Santos / Reportagem: Gabriela Mendes / Edição e sonoplastia: Simei Gonderim / Fotografia e Supervisão de radiojornalismo: Gláucio Santos /  Gabriela Morais é estudante de Letras da UFOP e atua como bolsista nos processos formativos da emissora.

Ep.03. Pibid, formação de professoras e as escolas públicas - 31.05

O PIBID - Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência da Universidade Federal de Ouro Preto tem se colocado como importante instrumento de diálogo entre a rede pública de ensino de Ouro Preto e Mariana e a instituição de ensino superior. Entre as frentes de trabalho desta iniciativa estão a formação inicial de futuros professores e a formação continuada daqueles que estão em sala de aula.

No PodCast Diálogos com a Educação, o professor Fábio Augusto Rodrigues fala sobre o funcionamento do programa no âmbito da UFOP e das salas de aulas da Educação Básica. O Pibid está subidvidido em projetos: Matemática, Língua Inglesa, Língua Portuguesa, Filosofia, Artes, Educação Física, Ciências (Física, Quimica e Biologia) e Afroindígena.

O pesquisador atua no Departamento de Biodiversidade, Evolução e Meio Ambiente, é licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Minas Gerais, além de ser mestre e doutor em Educação pela mesma instituição. Estuda temáticas relacionadas à formação de conceitos na Ciência e no Ensino de Biologia, como também a formação de professores inicial e continuada. Ele atualmente responde pela coordenação do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência na UFOP.

Roteiro e Produção: Gabriela Mendes Morais / Reportagem e Fotografia: Gláucio Santos 
Edição e sonoplastia: Simei Gonderim / Supervisão de radiojornalismo: Gláucio Santos 

Ep.02. Ações da UFOP com a escola pública - 24.05

O programa de extensão UFOP com a Escola tem como objetivo promover diálogo com as escolas públicas da região a partir do trabalho colaborativo que envolve alunos e professores da Universidade Federal de Ouro Preto. Reuniões são realizadas para discutir e produzir propostas de trabalho com a intenção de resolver as problemáticas que são apresentadas pelas escolas. São atendidas as cidades de Mariana, Ouro Preto, Acaiaca, Diogo de Vasconcelos, Itabirito e Conselheiro Lafaiete.

A iniciativa é realizada há pelo menos uma década e defendida como importante instrumento para formação continuada de docentes da rede pública de ensino e para os futuros profissionais que se encontram nas licenciaturas da UFOP. O professor Dr. Marcelo Donizete da Silva, do Departamento de Educação do Instituto de Ciências Humanas e Sociais, que ocupa neste momento a coordenação da Mesa Permanente do UFOP com a Escola, recebeu o jornalista, Gláucio Santos, no dia 20 de maio, para falar sobre as ações desenvolvidas nestes mais de dez anos.

Roteiro e Produção: Pedro Almeida / Reportagem e Fotografia: Gláucio Santos 

Edição e sonoplastia: Simei Gonderim / Supervisão de radiojornalismo: Gláucio Santos 

Ep.01. Estereótipos indígenas, formação de professoras e o espaço escolar - 17.05

O primeiro episódio Estereótipos indígenas e o espaço escolar aborda a perspectiva histórica e a existência de diferentes identidades sociais que foram tratadas na mesa de conversa "Povos Indígenas: Cultura e Resistência" promovido pelo Centro Acadêmico de Pedagogia da UFOP, na cidade de Mariana, dia 13 de maio.

Em entrevista ao repórter Gláucio A. Santos, a professora de sociologia Avelin Buniacá Kambiwá, de Belo Horizonte, e a graduanda em Educação Infantil da Universidade Federal de Viçosa, Suê Jani Puri, falaram sobre a importância da presença de representantes de grupos étnicos no espaço escolar para abordarem as diversas culturas dos Povos Originários. Elas fizeram um alerta: que as instituições de ensino não utilizem estereótipos, como os usados em muitos casos em alusão ao Dia do índio, em 19 de abril.

Roteiro, Produção e Reportagem: Gláucio Santos / Edição e sonoplastia: Simei Gonderim

Fotografia: Arquivo Pessoal  / Supervisão de radiojornalismo: Gláucio Santos

Conheça o Projeto Culturas Indígenas do Brasil produzido pela Rádio UFOP Educativa.